sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

A verdadeira historia da águia

    A mensagem com traços de auto-ajuda circula em mensagens, está presente em várias páginas da web e também possui versão em .pps. Segundo essa lenda, ao completar quarenta anos de idade as garras das águias ficam flexíveis e não mais conseguem segurar as presas.
O bico alongado e pontiagudo se curva, apontando contra o peito.

As asas estão envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!

Então, a águia só tem duas alternativas: morrer... ou ... enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias.
    As águias frágeis, desprovidas de coragem, sucumbem ao envelhecimento. As mais corajosas, valentes e audaciosas tomam uma decisão radical: se refugiam no alto de uma montanha e iniciam um processo de automutilação. É verdade que algumas águias vivem cerca de quarenta anos, é verdade que depois de certa idade elas não mais conseguem segurar as presas nem voar com a mesma desenvoltura. No entanto, esse processo de automutilação para o prolongamento da vida não existe, jamais foi constatado pelos ornitólogos. A automutilação em animais ocorre em casos de doença e em situações de estresse principalmente quando mantidos em cativeiro. Não há registros dessa ocorrência fantasiosa fruto da imaginação fértil de algum denodado criador de parábolas exemplares.   pesquisando o tema  vemos que:
[tudo] não passa de uma fantasia grotesca, pois a automutilação em animais só aparece como condição patológica, como situações de estresse, doenças de pele, etc. A auto destruição não é uma situação normal em homens ou em animais, e de jeito nenhum pode ser tomada como símbolo de renovação. Quem diz uma bobagem dessas não entende nada de natureza nem de símbolos...


Numa das versões que eu vi [...] foi acrescentado um detalhe: para explicar de que jeito a ave sobrevive nos 150 dias de retiro, explica-se, candidamente,  que "as outras aves do bando a alimentam, nesse período".

Isso é impossível:  a águia é um animal solitário, não vive em bandos.

 É  preciso lembrar que as escolas têm como meta usar a Internet na educação de crianças e adolescentes. Não deveríamos ensinar-lhes também a discernir entre verdade e mentira grosseira? e por falar em verdade João8:32 di:"E CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ",João 8:44 "Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira". 
                  Ainda que o fato descrito fosse verdadeiro, como é que um comportamento animal poderia servir como exemplo a ser seguido por seres humanos?
É uma parábola?............... O texto usa uma linguagem cifrada?.................. Seja como for, fica a impressão de que o autor dessa pérola teria conhecimentos de ornitologia, o que não é verdade.
Existem muitos relatos de automutilação em seres humanos por razões de ordem religiosa. Através desses atos, pessoas esperam obter o perdão para os seus pecados e assegurar um lugar confortável no céu dos justos.
    Além desse tipo de mutilação, existe, há milhares de anos, a automutilação ou a mutilação consentida em seres humanos. O uso de piercings, para não falar dos brincos, é coisa comum. E, por motivos religiosos, a circuncisão. E mais. Quase todas os dias, mulheres apresentam na televisão, com muito orgulho, ao vivo e em cores os generosos mililitros de silicone de suas exuberantes próteses. (Os homens não fazem o mesmo, talvez por não se orgulharem tanto assim ;))) Seria a mesma coisa o que (supostamente) fazem as águias e o que os humanos fazem para realçar contornos da anatomia? É claro que não dá pra comparar. A ornitóloga australiana Patricia Macwhirter busca informações sobre casos de automutilação em pássaros da família dos psitacídeos. Ela alerta para não se confundir automutilação com doenças como a que ocasiona o crescimento anormal de penas e bicos. Conclusão: essa história não passa de uma lenda. Não há casos registrados de automutilação em aves com a finalidade de uma suposta "renovação". E qual a sua origem? Há uma passagem na Bíblia (Salmos, 103, 3 a 5) que diz o seguinte:
Ele é quem perdoa todas as tuas iniqüidades;
...
quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.
     Como se vê, é lenda antiga. Há quem tome ao pé da letra as palavras da Bíblia, mas não há comprovação científica de tal automutilação ou renovação.
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário